Logo Haras Gamarra CATEGORIAS DOS CAVALOS

HARAS
GAMARRA

CRIATÓRIO

MANGALARGA
MARCHADOR
x
MANGALARGA

A
HISTÓRIA
DO
MANGALARGA
MARCHADOR

CATEGORIAS
DOS
CAVALOS

CAVALOS
DO
HARAS

VENDA
DE
CAVALOS

NOTÍCIAS

VÍDEOS

CONTATO

 

 

 

Classificação

 

Os eqüinos podem ser divididos em três categorias conforme a sua finalidade exploratória: de esportes, de tração e de sela. Isto significa que o Padrão Racial é basicamente o mesmo para todos os cavalos que pertencem a uma determinada categoria. Apenas pequenos detalhes é que diferenciam um de outros.

 

Pelo seu biótipo, o Mangalarga Marchador é enquadrado na categoria sela.

 

 

Andamentos

 

Conhecer os andamentos naturais dos eqüinos é fundamental para que possamos buscar as funções de cada raça. Andamento representa as diferentes modalidades de movimentos do cavalo durante o seu deslocamento.

 

Os andamentos podem ser naturais ou artificiais, sendo que o andamento natural é o que o animal executa instintivamente, enquanto os artificiais lhe são impostos pelo homem.

 

No cavalo, três andamentos são considerados naturais:

 

- O passo;

- O trote ou marcha;

- O galope.

 

Este último, subdividido no galope a 3 tempos e a 4 tempos. As raças de cavalos marchadores suprimem o trote pela marcha. Entretanto, algumas raças podem tê-la como um andamento artificial, o que não é o caso do Mangalarga Marchador.

 

 

Terminologia de Andamento

 

Para que possamos analisar os diferentes andamentos, devemos, antes de tudo, compreender a terminologia empregada:

 

Apoio

Contato de um ou mais cascos com o solo, podendo ser monopedal, bipedal (bípedes), tripedal (tríplice) ou quadrupedal (quadrupede).

Batidas

Ruído produzido quando um ou mais membros tocam o solo.

Pegada

Sinal que cada um dos cascos deixa quando sai do solo. Na sobrê-pegada, o posterior pisa no local em que o anterior pisou.

Pistas

(conjunto de pegadas)

Olhando de um mesmo lado, temos a pista simples, quando o posterior pisa sobre a pegada do anterior (sôbre-pegada); e pista dupla inversa, quando o posterior pisa na frente.

 

Na identificação dos apoios, o que dá o nome do bípedal diagonal direito ou esquerdo, é sempre o membro anterior. Assim, quando o anterior direito está apoiado, será um ‘Apoio Bipedal Diagonal Direito’, e vice-versa.

 

A classificação do tríplice apoio é dada sempre com relação ao membro que está sozinho, sem par. Este é o ponto de referência. Por exemplo, se os dois anteriores estão apoiados, e um posterior direito, o tríplice apoio será de posterior direito. Quando os dois posteriores estão apoiados e um anterior também, o tríplice apoio será de anterior, direito ou esquerdo, dependendo do caso.

 

E quanto aos apoios monopedal e quadripedal, não há problema para identificação e denominação. Já o apoio bipedal lateral, diz-se que é esquerdo ou direito, dependendo da lateral de apoio.

 

Quando os quatro cascos perdem o contato com o solo, há um momento de suspensão para a troca de apoios, o que descaracteriza uma marcha.

 

 

Divisões de Andamentos

 

Na verdade, existem somente dois tipos de andamentos, o ‘marchado’ e o ‘saltado’. No primeiro caso, quando o cavalo nunca perde o contato com o solo. E no segundo caso, há um momento de suspensão.

 

Existem modalidades, classificações, classes, conforme a velocidade. Assim, poderemos ter os andamentos de pouca, média ou grande velocidade. Por exemplo, se queremos nos referir a um andamento saltado de média velocidade, pensaremos logo no trote ou “marcha trotada”.

 

 

Modalidades de Andamentos Marchados

 

De acordo com a maneira pela qual os membros associam-se durante este tipo de movimentação, teremos o passo, a andadura, marcha picada e marcha batida.

   

Modalidades de Andamentos Marchados

Passo

Andamento marchado de pouca velocidade, de 4 tempos, com batidas regularmente espaçadas, repetindo-se 8 apoios. Logicamente, os apoios podem variar entre os membros, mas necessariamente são estes tipos. A pista é simples, ou seja, com o posterior sobrepondo-se à pegada deixada pela anterior do mesmo lado. A reação é extremamente suave. No caso do passo em recuo, a associação dos membros é semelhante à do trote, com o anterior pisando antes do posterior. O mecanismo do passo à frente é o movimento de um membro de cada vez, em uma seqüência lateral. Já no recuo, a seqüência é no bípede diagonal.

Andadura

Andamento marchado de média velocidade, 100% lateral, com um rápido apoio quadrupedal substituindo o momento de suspensão na troca dos apoios bipedais laterais. A reação da andadura, para cavalo e cavaleiro, é mínima no sentido vertical, sendo mais pronunciada no sentido lateral. O comprimento da passada excede 1/3 da base se sustentação, do anterior ao posterior. Na andadura muito longa, teremos o esquipado, passando a ser uma modalidade saltada, de corrida.

Marcha Picada

O extremo contrário à andadura é o trote. E em uma faixa de andamento mais próximo à andadura está a marcha picada, ainda com avanço dos bípedes laterais, mas em um descompasso bem caracterizado. Logo, com a perda do sincronismo no deslocamento dos bípedes laterais, teremos a chamada marcha picada. As reações são suaves, com um menor atrito lateral em relação à andadura.

Marcha Batida

Saindo da marcha picada, teremos o avanço dos bípedes diagonais em um descompasso bem caracterizado. A faixa é um tanto variável, com animais mais próximos da marcha picada, e outros mais próximos do trote. Neste último caso, fica muito difícil, a olho nú, diferenciar uma marcha de um trote.

 

 

Modalidades de Andamentos Saltados

 

De acordo com a velocidade de movimentação e com a maneira pela qual os membros associam-se, teremos a marcha trotada, o trote convencional e o galope.

 

Modalidades de Andamentos Saltados

Marcha Trotada

Andamento saltado de média velocidade, pouco conhecido em termos de definição. O avanço é dos bípedes diagonais, nitidamente sincronizados, com um rápido momento de suspensão para a troca de apoios. As variações são menores, pois indo em direção ao extremo inferior, será marcha batida, e em direção ao extremo superior, será um trote convencional. Os cavalos de marcha trotada normalmente apresentam um andamento mais alçado, com uma elegância natural.

Trote

Andamento do tipo saltado, com deslocamento compassados dos bípedes diagonais, observando-se um nítido momento de suspensão para a troca dos apoios diagonais. As reações são duras no sentido vertical.

Galope

Ainda dentro do tipo saltado, mas com classificação de grande velocidade, temos o galope curto (canter) de três tempos, com apoios unipedal, bipedal e tripedal. Portanto, as batidas são três, aproximando-se duas, e uma mais espaçada. As reações são relativamente suaves, pois neste caso a velocidade é grande, e o membro vem estendido, inclinado, tocando o solo de forma a proporcionar uma boa flexão, diminuindo o atrito tanto para cavalo como para cavaleiro. No galope a 4 tempos, não ocorre o apoio bipedal diagonal, com o cavalo apoiando-se primeiro em um monopedal, seguido de um bipedal diagonal dissociado e, finalmente, um apoio tripedal. Esta seqüência proporciona 4 batidas.